Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/a9985/public_html/plugins/system/piwik/piwik.php on line 71
Associação dos Geógrafos Brasileiros - Página principal
Página Principal

XVIII Encontro Nacional de Geógrafos

Confira 1ª Circular do XIX Encontro Nacional de Geógrafos - João Pessoa (Paraíba)

Confira a 1ª Circular do XIX Encontro Nacional de Geógrafos “Pensar e Fazer a Geografia brasileira no século XXI: escalas, conflitos socioespaciais e crise estrutural na nova geopolítica mundial”, a ser realizado na cidade de João Pessoa (PB), entre os dias 08 e 14 de julho de 2018.

As Seções Locais deverão apresentar na 131ª RGC - que ocorrerá entre os dias 6 e 10 de setembro de 2017 em São Paulo (SP) - propostas de identidade gráfica (arte do evento) do XIX ENG, para aprovação da mesma. É determinante que as propostas de identidade gráfica tenham como referência o tema/ementa do encontro. Discuta este documento em sua Seção Local e contribua com a construção do ENG 2018.

Confira Primeira Circular clicando em:

“Pensar e Fazer a Geografia brasileira no século XXI: escalas, conflitos socioespaciais e crise estrutural na nova geopolítica mundial”

Coletivo DEN 2016 - 2018

AGB participa do XII Congresso Nacional do Sindicato Nacional dos Servidores do IBGE (ASSIBGE-SN) em Juiz de Fora-MG

O professor Marco Mitidiero (UFPB) participou como representante da Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) do XII Congresso Nacional dos Servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O congresso reuniu representantes de todos os estados brasileiros. A tônica do evento foi discutir o golpe que derrubou a democracia brasileira em 2016 e as ameaças e ataques do governo golpista ao instituto. A preocupação primeira do sindicato é de assegurar o IBGE como órgão público frente ao alerta de possível processo de privatização anunciada, a miúde, em várias ações do então presidente do IBGE - homem de confiança e indicado diretamente por Michel Temer - Paulo Rabello de Castro (atual presidente do BNDS).

Diante dessa conjuntura, o grito que dominou o evento foi o de “fora Temer” e “por uma gestão democrática do IBGE”. Por isso, o tema das mesas redondas, reuniões e grupos de trabalho foram pautados por análises de conjuntura e demarcação de posicionamentos políticos dos servidores públicos desse instituto responsável por boa parte da coleta e sistematização dos dados sobre o território e a sociedade brasileira. A participação da AGB nesse debate ocorreu na mesa redonda “O IBGE que Queremos”.

captura2

 Nesse momento do evento, o foco foi reunir informações que ajudem na defesa do IBGE como órgão público e de Estado frente às posições neoliberais do governo golpista e da presidência do IBGE. Uma série de ações que tendem para a “privatização” do instituto parecem entrar em curso. No discurso do então presidente Rabello, o IBGE deveria deixar de ter caráter estatal; não contar com financiamento público o que levaria o instituto a cobrar pela disponibilização dos dados, situação nomeada pelos participantes do evento como “IBGE pesque e pague”; direcionar as pesquisas para fomentar o avanço da economia neoliberal e do capital internacional em território brasileiro; diminuir e relativizar o Censo Agropecuário; direcionar os projetos do IBGE a partir das “demandas dos usuários”, etc. No bojo dessas propostas o IBGE já vem sofrendo com a redução e esvaziamento do quadro efetivo de funcionários, contratação de funcionários temporários por baixos salários, redução orçamentária que prejudica e impossibilita o cumprimento do programa de trabalho e demandas cada vez mais crescentes, gestão autoritária, cerceamento da atividade sindical, etc.

No que diz respeito ao debate sobre o papel da Geografia no IBGE ficou claro uma reclamação, que não é nova, sobre o distanciamento da Geografia, marcada pelo desequilíbrio entre a Geografia e as outras áreas que compõe o instituto. Assim, Geociências como um todo foi colocada “em segundo plano”. Também foi apontado, no sentido inverso, a falta de aproximação da Geografia acadêmica frente ao IBGE enquanto órgão federal. Os diálogos entre a produção de conhecimento na Geografia acadêmica e o IBGE não são tão explícitos e colaborativos. Outro ponto importante que marcou o debate foi a contribuição da Geografia para entender o ataque ao Censo Agropecuário 2016, já que os geógrafos saíram na frente na crítica aos cortes do questionário que produzirá o Censo Agropecuário.

O pensamento neoliberal pretende transformar a maior e mais importante base de dados sobre o espaço rural brasileiro em uma fonte de informações para o grande agronegócio, ao ponto que um lema apareceu durante as discussões: “não vai ter Censo!”. Lema de defesa ao legado da série histórica dessa base de dados e da importância de se produzir informações sobre maior universo que ocupa o espaço rural que são os pequenos camponeses produtores de alimentos. Essa crítica constituiu um ponto de aproximação entre o Sindicato Nacional do IBGE e a AGB. 

(Coletivo de Comunicações DEN 2016 - 2018) 

Reuniões Regionais do Conselho Nacional de Educação

Comunicado aos Agebeanos: 

Viemos, por meio deste, realizar novo chamado para as indicações de representantes nas Reuniões Regionais do Conselho Nacional de Educação. A discussão sobre a Base Nacional Comum Curricular é de suma importância, não apenas para profissionais licenciados, como para bacharéis, porque diz respeito à presença da categoria em espaços de disputa, fazendo-se ouvir perante outras entidades e áreas de conhecimento. Entretanto, é necessário destacar a ausência de indicações para a primeira reunião, da Região Norte, dia 7 de Julho. E há pouco tempo até a próxima, da Região Nordeste (Recife), dia 28 de Julho. Quanto ao segundo semestre, seguem em ordem de data: Sul (Florianópolis) 11 de Agosto, Sudeste (São Paulo) 25 de Agosto e Centro-Oeste (Brasília) 11 de Setembro. Pedimos agilidade nesse processo, para que haja tempo hábil de realizarmos os convites aos indicados e organizarmos suas idas às reuniões. Relembramos, também, que as SL's indicadas para pensar os nomes, e elaborar o documento que subsidie tal participação (conforme deliberação da 130ª RGC), são: Aracajú, Niterói e São Paulo. Por fim, cabe destacar, ainda, que a presença dos representas está condicionada a um retorno institucional, através de um relato sobre a discussão e possíveis encaminhamentos. O mesmo cumprirá o papel de servir como acúmulo para a reunião seguinte, bem como possibilitará ampla divulgação perante a comunidade geográfica.

31f8bb070c media

 

Coletivo ANGTs - Gestão DEN 2016-2018.

Manifesto do Projeto Brasil Cidades

Caras(os) agebeanas(os),

Em consonância com a história da AGB nas lutas urbanas, junto com os movimentos sociais e outras entidades, a Diretoria Executiva Nacional (DEN) assina o Manifesto do Projeto Brasil Cidades. Durante a década de 1980, a entidade teve importante participação no processo de redemocratização do país e na construção da proposta de Política Urbana que foi debatida pela Assembleia Nacional Constituinte de 1987. Mais recentemente, a AGB, por meios dos GTs de Urbana e das Seções Locais, tem se mostrando atuante nas mais diversas frentes de luta como a discussão dos Planos Diretores Urbanos (PDMs), estruturação de apoio político às ocupações urbanas, participação de espaços de participação na gestão urbana como as Conferências das Cidades e os Conselhos das Cidades, dentre outras ações.
Na conjuntura atual de perspectivas de acirramento dos conflitos urbanos, a DEN convida as Seções Locais e a Comunidade Agebeana a assinarem o Manifesto do Projeto Brasil Cidades. Mais que o apoio a este documento, a leitura e o debate de seu conteúdo pelos GTs de Urbana podem representar um caminho na construção de possibilidades de atuação da entidade sobre realidade urbana contemporânea.

Saudações agebeanas,
DEN 2016-2018
 
frente ampla em defesa

Manifesto em 
 
__._,_.___

Comunicado Revista Terra Livre: Lançada a Terra Livre No 45 & Chamada para edição 47, 48 e 49!

Confira Terra Livre v. 2, n. 45 (2015): (Qual) é o fim do Ensino de Geografia? e prestigie a última edição publicada do periódico: 

http://www.agb.org.br/publicacoes/index.php/terralivre/issue/view/87

A Revista Terra Livre está recebendo, através de seu portal (www.agb.org.br/publicacoes), artigos para as edições 47, 48 e 49.  O prazo das submissões para estes três números vai até 30 de setembro de 2017. Os artigos deverão observar as Normas de Publicação disponíveis no site. Os temas de chamada destas edições, bem como suas ementas (construídos pelas Seções Locais da entidade nas Reuniões de Gestão Coletiva) são apresentados na plataforma da Revista. Convidamos também a navegar no sumário da revista para acessar os artigos  e outros itens de seu interesse. 

Terra Livre 47 - “OS RETROCESSOS DO NOVO CONSERVADORISMO, LIBERALISMO e FUNDAMENTALISMO”

Terra Livre 48 – “OPRESSÕES, TRABALHO E CONTRADIÇÕES DA DEMOCRACIA: A  GEOGRAFIA DAS (RE)EXISTÊNCIAS”

Terra Livre 49: “AS GEOGRAFIAS DA NATUREZA E AS NATUREZAS DA GEOGRAFIA”

- - -

Confira Terra Livre v. 2, n. 45 (2015): (Qual) é o fim do Ensino de Geografia?
http://www.agb.org.br/publicacoes/index.php/terralivre/issue/view/87

Sobre como mapas se tornam mapas e a educação cartográfica na
contemporaneidade (13-30)
        (Tânia Seneme do Canto)

Mudanças e continuidades nos livros didáticos de Geografia: uma análise
comparativa em Brasil, Espanha e Portugal (31-61)

        (Ivaine Maria Tonini, Sérgio Claudino, Xosé Manuel Souto)

A questão agrária e a Educação do/no campo:  Trajetórias de vida e
dialogias no trabalho de formação de educadores (62-97)

        (Ângela Massumi Katuta, Ehrick Eduardo Martins Melzer)

Trabalho e Educação: Contribuição ao debate para a pesquisa sobre
Educação no campo da Geografia (98-136)
        (Alex Cristiano de Souza)

A construção da nação nos livros didáticos de Geografia da Primeira
República (137-173)

        (Naiemer Ribeiro de Carvalho)

O Livro Didático: do Determinismo Geográfico de Delgado de Carvalho à
Educação das relações étnico-raciais (174-196)
        (Edimilson Antônio Mota)

Educação Escolar Indígena: Reflexões sobre língua e cultura nos
territórios etnoeducacionais (197-224)
        (Cíntia dos Santos Pereira da Silva Ivana Pereira Ivo)

       ____________
Revista Terra Livre

Capturar
Conheça o periódico clicando em: (http://www.agb.org.br/publicacoes/index.php/terralivre/index)

Coletivo de Publicações AGB DEN 2016-2018/ Coletivo de Comunicações AGB DEN 2016-2018

Pagina 1 de 22

Pesquise no site:

Quem está online:

Temos 89 visitantes e Nenhum membro online

História da AGB

Docs / SupportAqui você pode encontrar um pouco mais sobre a história da AGB e sua ata de fundação.

Leia mais...

Legislação / Estatuto

Docs / SupportVeja aqui a legislação que regulamenta a profissão de geógrafo, o estatuto da AGB e como criar uma Seção Local da AGB.

Leia mais...

Contato

icon-contatoAqui você pode verificar os meios para entrar em contato com a AGB.

Saiba mais aqui...

Free business joomla templates